Apple revela Apple Watch, seu primeiro relógio inteligente

setembro 9, 2014

3322 Visualizações

Tags

Tim Cook, CEO da Apple, anuncia o Apple Watch (Foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP)

Tim Cook, CEO da Apple, anuncia o Apple Watch (Foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Apple revelou nesta terça-feira (9) o Apple Watch, seu primeiro relógio inteligente (ou smartwatch). O acessório foi mostrado no mesmo evento em que a empresa anunciou seus dois novos iPhones, o 6 e o 6 Plus, com display maior. Ele será vendido nos Estados Unidos por US$ 350 e começa a ser vendido no começo de 2015.

O relógio funciona apenas com os iPhones, diferentes de outros modelos concorrentes que funcionam em diversos modelos de smartphones com Android. Os modelos compatíveis são iPhone 5, 5C, 5S, 6 e 6 Plus.

O novo recurso Apple Pay, de pagamentos por tecnologia de toque, que a Apple apresentou para o iPhone 6 e iPhone 6 Plus.

O aparelho tem dois tamanhos e pode ser personalizado pelo usuário para mostrar ponteiros diferentes, inclusive um do Mickey. Ele tem tela quadrada, mas cantos arredondados, mostrando um design melhor do que os concorrentes da Samsung. Ele é tão bonito quanto o Moto360, da Motorola.

Ele tem em três modelos: o tradicional Apple Watch, uma versão esporte, mais resistente, principalmente nas pulseiras, e o Watch Edition, que é feito de ouro 18 quilates.

“Trabalhamos no Apple Watch há muito muito tempo”, disse Tim Cook, CEO da Apple, durante o evento.

Diferentemente dos concorrentes, o Apple Watch tem um botão rotativo, como de relógios comuns, que permite acessar aplicativos. No app de mapas, por exemplo, este botão dá zoom. Ao ver mensagens, ele roda as mensagens. Ao pressionar este botão, ele faz o Apple Watch voltar para a tela inicial, que apresenta apps e funções em pequenas bolas.

A tela ainda é sensível ao toque, e o usuário pode acessá-la como faz no iPhone tradicional. Ela também sente diferenças de pressão, que pode dar acesso diferenciado e contextual a controles diferentes.

Além de ver mapas, como foi mostrado pela Apple, o usuário pode ver mensagens, atender ligações telefônicas do iPhone e ver o calendário. Há previsão do tempo, contador de passos, sensor de frequência cardíaca. Estes recursos tornam o Apple Watch um dispositivo para usuários que desejam fazer exercícios.

No aplicativo de mapas, o relógio mostra em tempo real o caminho do usuário, avisando quando ele deve entrar em uma rua. Notificações do Twitter e do Facebook aparecem no Apple Watch e têm seus respectívos ícones. É possível até tuitar ao falar a mensagem ao relógio.

Ele tem seis diferentes pulseiras que podem facilmente ser trocadas pelo usuário. Isso permite que o relógio seja “diferente” dependendo da ocasião.

A bateria é recarregada por meio de um conector magnético que se conecta na parte inferior do relógio.

Totalmente personalizado
Ao pressionar a tela com o relógio sendo mostrado com força, o usuário pode escolher uma centena de opções de visuais para ver as horas. Há deste um ponteiro com o Mickey até um que mostra a imagem da Terra e onde o usuário está. No mesmo modo, é possível mostrar a Lua e a posição dos planetas no Sistema Solar em tempo real. O usuário pode ainda escolher o que ele quer que o aparelho mostre ao lado das horas.

O relógio ainda permite ver calendário e compromissos, podendo aceitá-los ou não. Ao receber uma mensagem, o Apple Watch entende o que está escrito e oferece respostas curtas para o usuário responder rapidamente. Ainda é possível mandar uma mensagem de voz ou um emoji animado criado pela Apple.

A Siri, assistente digital da Apple, está presente no relógio inteligente. O usuário pode perguntar sobre filmes e locais para jantar e a Siri responde ao usuário. As fotos que estão no iCloud ou no iPhone podem ser visualizadas no Watch e podem ser usadas como papel de parede.

As músicas do iPhone podem ser reproduzidas no relógio.

Uma das funções “diferentes” do Apple Watch é poder enviar seus batimentos cardíacos captados pelo dispositivo para um contato.

Phil Schiller, vice-presidente de marketing internacional da Apple, fala sobre o novo iPhone 6 (Foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP)

Phil Schiller, vice-presidente de marketing
internacional da Apple, fala sobre o novo
iPhone 6 (Foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Novos iPhones
Em sua versão mais barata, com 16 GB de armazenamento, o iPhone 6 custa US$ 200 em um contrato de dois anos com operadoras. O modelo de 64 GB sai por US$ 300 e o de 128 GB, US$ 400.

Já o iPhone 6 Plus de 16 GB será vendido por US$ 300, com opções de 64 GB (US$ 400) e 128 GB (US$ 500).

Os novos iPhones virão em três cores – dourada, prata e preta – e serão acompanhados de capinhas de silicone coloridas produzidas pela Apple.

“Desde a concepção dos novos iPhones, pensamos em telas com tamanhos diferentes”, disse Phil Schiller, vice-presidente da Apple, durante o evento.

Por ter uma tela maior, o iPhone 6 Plus assume várias funcionalidades já vistas no iPad Mini. O aparelho consegue, por exemplo, mostrar o menu principal do iPhone na horizontal. No caso do app Messages, o display de 5,7 polegadas da Apple é capaz de exibir fotos de todos os contatos da lista.

Os novos iPhones têm linhas mais arredondadas e são mais finos que os modelos anteriores. Enquanto o 5S tem 7,6 mm de espessura, o iPhone 6 tem 6,9 mm e o 6 Plus, 7,1 mm.

Os novos smartphones vêm com resolução Retina HD, de altíssima definição. De acordo com a Apple, o iPhone 6 Plus tem 185% mais pixels que o 5S. No caso do iPhone 6, a superioridade é de 38%.

Outra novidade é uma tecnologia de reinforçamento por íons no vidro. A iniciativa visa evitar rachaduras nas telas, problema comum no iPhone.

Debaixo do capô
Como era de esperar, os novos iPhones também vêm acompanhados de um novo processador: o A8, de 64 bits. Esse chip tem 2 bilhões de transistores e é 13% menor do que o chip A7, do iPhone 5S. O processamento geral é 20% mais rápido. No caso dos gráficos para games, a velocidade sobe em 50%.

De acordo com a Apple, muitos estúdios de games já desenvolvem títulos com o novo motor gráfico de jogos da Apple, o Metal. Um dos títulos apresentados e feitos especificamente para os novos iPhones 6, “Vain Glory”, pode mostrar até 100 personagens ao mesmo tempo na tela.

A capacidade da bateria pode ainda ser o calcanhar de Aquiles dos novos iPhones. A Apple diz que o desempenho será igual ou melhor ao do iPhone 5S, com 1 dia de conversa usando 3G. Usando a conexão 3G, o tempo de duração é de 14h.

Com enfoque em exercícios físicos, um novo processador de movimento chamado M8 foi incluído. Ele entende quando o usuário está correndo, subindo escadas ou andando de bicicleta, e calcula elevação, distância e calorias queimadas. O M8 possui ainda um barômetro para verificar diferenças de pressão do ar e altitude.

Os novos iPhones 6 aceitam 20 diferentes tipos de frequências 4G, além de oferecerem maiores velocidades de conexão à internet móvel. Segundo a Apple, o Wi-Fi está três vezes mais rápido e agora os aparelhos aceitam ligações telefônicas por esse tipo de conexão.

Fonte: G1

DEIXE O SEU COMENTÁRIO